sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Avatar

Património Mundial da Humanidade


Como é de vosso conhecimento, Lagos vai geminar-se com o concelho da Ribeira Grande de Santiago, em Cabo Verde, neste concelho, encontra-se a Cidade Velha que devido à sua rica história, foi considerada património mundial da humanidade pela UNESCO. O objectivo é aprofundar o conhecimento sobre as tradições e costumes entre os dois municípios. O acordo já foi aprovado em reunião na Câmara Municipal de Lagos. Ler AQUI.
Esta aproximação cultural, não será exclusivamente (na minha opinião ), uma relação histórica com Lagos, mas um objectivo político do futuro de Cabo Verde, com a integração na União Europeia. Admirou-se! Sim, União Europeia.
Este arquipélago descoberto em 1460 por Diogo Gomes ao serviço da coroa portuguesa, que encontrou as ilhas desabitadas e aparentemente sem indícios de anterior presença humana, conjuga uma identidade africana (por razões meramente geográficas) e europeia – resultantes das raízes histórico-culturais.
Daí, a reivindicação política da integração de Cabo Verde na União Europeia, seja apoiado e patrocinado por muitos, como pelo Professor Adriano Moreira e o Dr. Mário Soares.
A pretensa aproximação cultural de Cabo Verde à Europa têm como substrato lógico a reivindicação de um argumento que se assenta, sobretudo, na construção de uma dinâmica de poder cujo centro político de referência se projecta por intermédio da cultura e o seu legado histórico: “a chave desta questão é a identidade cultural. É esse o critério de adesão. E nesse contexto, Cabo Verde também é Europa. Senão como justicar a entrada da Turquia na União Europeia?”.
Ora, aqui temos um caso, como o outro, diria. Sendo assim, eu me junto às personalidades públicas deste país, para que, se a Turquia um dia entrar na União Europeia, então que Cabo verde, venha a seguir.

PS: E, então, ainda sem querer, acabo de me meter, onde não sou chamado! Ou seja, deixei por momentos a minha covardia egoísta de querer fugir aos meus pensamentos políticos, escondendo-os. No fundo, com ou sem política, o que gosto mais neste post, é sem dúvida, o video inédito de Cesária Évora, no tempo em que ela, cantava sómente lá na rua dela (no bairro Lombo, nas imediações de aquartelamentos do exército português) . Até, que um dia, um Francês viu, ouvio, gostou e levou-a para França para gravar. A partir daí, já conquistou um prêmio Grammy de melhor álbum de world music contemporânea, e o presidente francês Jacques Chirac distinguiu-a com a medalha da Legião de Honra de França (Cabo Verde uma colónia francesa? Não,não me parece!). Os portugueses, esses, gostam muito, e mais nada.
Por que não ir mais longe? A identidade cultural desta senhora, e o legado histórico desta antiga colónia portuguesa, seu país, pode ser a chave no intercâmbio de informações e experiências, em matérias de interesse comum, como a cultura, entre os dois municípios, Lagos e Ribeira Grande de Santiago(primeira cidade construída pelos portugueses nos trópicos). Sendo assim, Dr Júlio Barroso, traga a Lagos "Rainha da morna" a Cesária Évora.

Apreciem bem todos os detalhes do video, e claro a música(especial atenção, aos instrumentos de corda) e a simplicidade de todo o trabalho artístico, que na minha opinião é o melhor de Cesária Évora.

11 comentários:

Reino do Algarve disse...

Simplesmente fantástico,adorei a escolha do video.
Políticas à parte, achei muito interessante, excelente trabalho! Grande abraço, continua.

valvesta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Canalha de Lagos disse...

Obrigado ao Reino do Algarve, palavras e gestos tão simples, mas tão necessários.Já agora aproveito para acrescentar, que ao fazer este blog, não procuro reconhecimento ou algo em troca, mas, que não seja essa a razão, para não comentar. O número de visitantes que por aqui passa, não é preocupante, mas sei que já são alguns, pelos mail que me tem chegado à caixa do correio, alguns em forma de veneno. Faço isto porque gosto, não é própriamente o que escrevo, tem mais a ver com o visual do blog, a estrutura em código html e Java scrip, fascina-me. Estou conciente que não chegarei à meta dos 10 mil visitantes por dia, e isso é visível nos contadores dos meus vizínhos blogers, por isso mesmo, não vale a pena contar, ou será espiar? Sei também, que um dia chegará a um fim, mas não é, amanhã.
Um excelente fim de semana a todos! fiquem bem com a música de Cesária Ėvora.

Amiga Valvesta!
Eu lhe abraço na mesma forma. Prefira sempre, um canalha ao imbecil, os canalhas, pelo menos, descansam de vez em quando. E é isso que eu vou fazer, este fim-de-semana.
Beijooooooooooooooooo

valvesta disse...

Querido canalha,prefiro.
apaguei o comentário pois tinha absurdo de erro...
estou a concordar contigo, descansa,toma ar, volta a vapor.
abraços.

Ant disse...

Estou a gostar e tentado a te perguntar, - quem és tu?

Mas vamos lá a ver, claro que não tem importância o facto de saber ou não quem és tu, o teu nome, o que tem importância e saber quem produz este blog. Porquê? É simples, o facto de os temas que introduzes neste espaço serem repletos de interesse acrescentado faz com que a curiosidade impera, que és tu, não a pessoa, quem és tu que produzes este blog? Passo a passo vai-se demarcando pela qualidade dos temas. Há uns tempos eu produzia textos que eram corrigidos em termos semânticos, gramaticais e outros por um amigo, os resultados agradavam-me bastante. Os originais era deploráveis em todos os aspectos técnicos. Se admites uma critica que é fundamentalmente construtiva, propunha-te que entregasses os textos a outra pessoa para fazer a "produção". Sabes, eu sou amigo pessoal de um conhecido comentador e sei que ele faz isso?
Olha
Um abraço e parabéns renovados pelo teu blog.
AG

Canalha de Lagos disse...

Não podia estar mais de acordo contigo, uma boa observação, que eu próprio, já me tinha apercebido, e que admito perfeitamento. Confesso, que tenho alguma dificuldade com a escrita, razão pela qual já pensei em parar. Tantas coisas para contar, alguma imaginação, que consola toda a minha experiência num passado ainda tão recente, em minhas recordações, que de vez em quando se soltam de minha memória, e logo, tento partilhar com outros. Por tudo isso, tenho tentado a ajuda de outos, mas sem sucesso. Se reparas-te, no meu comentário anterior, aí, explico, que não é a escrita que me fascina no blog, ( apesar de saber que a escrita é o coração deste) mas sim a construção em si. O constante receio que me acompanha, em errar, é muito desmotivador, é difícil escrever bem, essa arte só para alguns, que eu tanto invejo.

Peço desculpa pela qualidade do texto, alguma tolerância, e compreesão acrescida, na leitura de meus textos.

Imagina, a companhia agradável, no ritual, de tomar um café, na companhia amiga de alguém precioso, meio perdidos na conversa, interrompidos apenas pelo riso da magia das palavras. Aqui sim, o maior erro que você pode cometer, é o de ficar calado o tempo todo com medo de cometer algum. Ė isso mesmo aqui, o imaginar estar num café, numa cidade pequena,um ambiente acolhedor, um sentir estar mais perto de alguém, é isso, mais ou menos que me faz continuar a escrever, mesmo que os termos semânticos e gramaticais, sejam de alguma forma pouco tecnicistas.

Vai mais um cafézinho, amigo?

Quanto, à grande questão, para muitos curiosos que me têm questionado, através de meu mail:

Quem és tu?
Alguém…Um canalha! vivo num castelo, aqui reino num profundo e misterioso imaginário, no mais profundo silêncio.
Tudo isto, faz com que seja observado com algum cuidado e desconfiaça, sendo assim, qualquer aliança, ou ajuda de terceiros, é tarefa difícil, compreendo perfeitamento. Razões mais fortes, à minha vontade, obriga-me, a todo este mistério, e assim continuarei, até a um fim.

Um abraço e bom final de semana!

Canalha
100nada@sapo.pt

Luisa Carbonell disse...

Olá!
Em primeiro lugar gostaria de parabenizá-lo pelo excelente trabalho. Demorei-me algum tempo por aqui, por ser a minha primeira visita, ficou-me a impressão que todo este seu trabalho é simplesmente extraordinario e pouco valorizado.
Ainda bem que existe um blog como este aqui em Lagos,continue com este excelente trabalho.

Deixo-lhe um recado:

Ninguém pode construir em teu lugar as pontes que precisarás passar, para atravessar o rio da vida.
- ninguém, exceto tu, só tu.
Existem, por certo, atalhos sem números, e pontes, e semideuses que se oferecerão para levar-te além do rio; mas isso te custaria a tua própria pessoa; tu te hipotecarias e te perderias.
Existe no mundo um único caminho por onde só tu podes passar.
Onde leva?
Não perguntes, segue-o!

jorge ferreira disse...

Uma pena que as geminações das cidades pouco passem para além dos gabinetes e dos salões por os políticos que nos governam não poderem ou não saberem geminar as almas das pessoas, dos povos e as culturas. Esperemos que neste caso de duas cidades fundadoras da lusofonia isso não aconteça. Aqui dou o meu testemunho e pequeno contributo com a mostra de um poema fundamental de Jorge Vera-Cruz Barbosa, natural da ilha de Santiago, um dos poetas da “Claridade” - seminais da poesia Cabo-verdiana e da criolagem, na senda de Manuel Bandeira -, a que acrescento duas estrofes do grande poeta minhoto António Manuel Couto Viana, uma sentida alma gémea, que o fez e o disse em sua homenagem.


PRELÚDIO

Quando o descobridor chegou à primeira ilha
nem homens nus
nem mulheres nuas
espreitando
inocentes e medrosos
detrás da vegetação.

Nem setas venenosas vindas do ar
nem gritos de alarme e de guerra
ecoando pelos montes.

Havia somente
as aves de rapina
de garras afiadas
as aves marítimas
de vôo largo
as aves canoras
assobiando inéditas melodias.

E a vegetação
cujas sementes vieram presas
nas asas dos pássaros
ao serem arrastados para cá
pelas fúrias dos temporais.

Quando o descobridor chegou
e saltou da proa do escaler varado na praia
enterrando
o pé direito na areia molhada

e se persignou
receoso ainda e surpreso
pensa n´El-Rei
nessa hora então
nessa hora inicial
começou a cumprir-se
este destino ainda de todos nós.

Jorge Barbosa, poeta “Claridoso”

Vieste à luz na Praia, langorosa
Cidade antiga cabo-verdiana
Portuguesa e crioula, que se ufana
Da tua poesia, Jorge Barbosa.

Deste vida à revista Claridade,
Que foi voz dos poetas teus irmãos,
A quem, em cada ilha, deste as mãos,
Cantando a solidão e a saudade.

(…)
António Manuel Couto Viana


P.S.: A blogosfera de Lagos tem passado por alguma exacerbada exaltação devido a questões relacionadas com o bem ler e o bem escrever. Não me parece que esse seja o caminho. Diz uma das regras da boa educação, que não se corrigem as pessoas que não conhecemos e com quem não temos confiança. Uma regra bem actual que pode evitar desnecessários melindres.

Ao contrário do comentador ANT, não vejo que os seus textos necessitem de qualquer produção externa, bem pelo contrário, algumas fugas ao figurino acontecem a todos. Cumprida a função de comunicação, no seu caso magnificamente, entendo-as como particularismo de expressão e de identidade – os crioulos, em parte, são também isso. Além do mais, sempre me ensinaram que a riqueza da língua se aprende pela fala, pela leitura e pela escrita. Portanto, continue a brindar-nos com as suas composições de escrita, de imagem e de som, vai ver que melhoramos todos no uso da língua.

Abraço

Canalha de Lagos disse...

Obrigado Jorge Ferreira!

Por me ter brindade com este lindo "PRELÚDIO", ao lê-lo, me fez viajar a esse mundo encantado, na companhia do Diogo Gomes em 1460. De certeza que foi uma experiencia fantástica para estes portugueses,descobridores quando chegaram à primeira ilha"Quando o descobridor chegou e saltou da proa do escaler varado na praia enterrando o pé direito na areia molhada,nem homens nus nem mulheres nuas espreitando".

Bonito poema,um grande abraço

Aguimas disse...

Vou fazer um post no meu blog a teu respeito e em jeito de resposta. Poderás considera como um incentivo à criação de uma rede de blogs de Lagos. Uma outra forma de usar este espaço e alargar o âmbito da acção que cada um de nós estabelece com quem nos lê. A mim não me interessa quem lê, interessa-me muito mais que leiam e se possível, quando cada um de nós acha que vale a pena, que seja num português correcto e legível. Abraço

PS - Será, como é de prever, corrigido por outra pessoa. Facilmente te aperceberás disso. Esse facto não me menoriza nem me faz desistir, apesar de haver quem queira que eu desista, ou advogue para mim esse estatuto.

valvesta disse...

Canavalha amigo, essa preocupação em escrever certinho as vezes nos afasta do foco principal que é colocar ao entendimento de outros nossos sentimentos e pensar, perdemos o fio da meada. pefiro o conteudo do que a forma q foi escrito, se faça entender é o bastante, a pratica da coisa a levará automaticamente a evoluir; Cá na minha terra mudaram acentos em palavras e outras coisitas, ficamos tontos e gritamos sempre a que ta perto, se tem acento , qual letra, etc, quantas informções, neste mundo onde a maquina impera tratam tb o humano como se a fosse; já não temos direito a errar...
um beijo e semana de sucesso.